Maior "Minha Casa Minha Vida" do Brasil terá saída para Osasco

Maior "Minha Casa Minha Vida" do Brasil terá saída para Osasco

Conjunto será construído na avenida Victor Civita, no trecho da Capital, mas com acesso por Osasco. Prefeito Rogério Lins prevê "trânsito travado" e vai cobrar contrapartida da empresa para duplicar a via. O mesmo será feito na Kenkiti Shimomoto, no City Bussocaba, que vai receber empreendimento de grande porte do lado de São Paulo

Por Redação 15/08/2017 - 17:03 hs

Osasco está prestes a ganhar um “vizinho” bem espaçoso. Será construído na avenida Victor Civita, na divisa entre a cidade e São Paulo, o maior empreendimento do programa habitacional “Minha Casa Minha Vida” do Brasil.  Embora fique do “lado” da Capital, próximo à Cohab Raposo Tavares, uma de suas saídas, para fluxo de carros, será pelo trecho de Osasco, que corta o Santa Maria.  

O anúncio foi feito pelo prefeito Rogerio Lins, em tom de preocupação, na noite desta segunda-feira, durante apresentação do projeto de revisão do Plano Diretor da cidade. Ao falar da importância de prever, no novo plano, o impacto de empreendimentos habitacionais na mobilidade urbana, ele afirmou que a prefeitura também está discutindo soluções para projetos em áreas de divisa e que, embora não fiquem na cidade, trarão reflexos direitos para a milha viária.  E citou outro ponto problemático: a avenida Kenkiti Shimomoto, no City Bussocaba, que também fica na divisa e terá, em seu lado da capital, no Jardim Boa Vista, um empreendimento do Minha Casa Minha Vida de grande porte.

“São empreendimentos construídos na divisa com nossa cidade e que vão trazer milhares de famílias para a região, mas com saída para Osasco. Temos que discutir como ficará a questão do viário”, destacou Lins, afirmando que vai negociar, com as empresas, contrapartidas para duplicar as duas avenidas.  “Esse empreendimento, por exemplo, que fica na avenida Victor Civita, pode travar o trânsito não só da cidade, mas também os acessos ao Rodoanel e à Raposo Tavares. Por isso, já estamos discutindo a duplicação da avenida, para conta desse movimento”, afirmou ele.  O número de moradias em cada um dos empreendimentos, que estão em fase de projeto, ainda não foi divulgado.