Prefeitura vai contratar internos da Fundação Casa como aprendizes

Segundo Lins, ideia surgiu após visita à Fundação Casa. "Os jovens me disseram que seu maior receio era não ter emprego quando saíssem de lá", afirma

Por Redação 31/10/2017 - 20:23 hs

A Prefeitura de Osasco vai contratar, por meio do programa Jovem Aprendiz, internos da Fundação Casa, que mantém duas unidades na cidade. Também haverá vagaspara ex-internos e menores que cumprem outras medidas sócio-educativas, determinadas pela Justiça, e que estão sob responsabilidade da Secretaria de Promoção Social.

As contratações fazem parte do programa Osasco Integra, lançado na noite de segunda-feira e que envolve uma série de ações, coordenadas pela Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão, para incentivar empresas a contratarem pessoas que hoje encontram maior dificuldade de colocação no mercado de trabalho, incluindo população de rua, refugiados e imigrantes, transexuais e travestis e mulheres vítimas da violência.

Segundo o prefeito Rogério Lins, a ideia de contratar os jovens da Fundação Casa surgiu após visita à unidade. “Tive a oportunidade de conversar com aqueles jovens e percebi que seu maior receio era não ter um emprego quando saíssem”, explicou, durante o lançamento, no Centro de Formação dos Professores e no qual também foi assinado o decreto que regulamenta o Jovem Aprendiz na administração.

Já a secretária Dulce Helena Cazzuni explicou que a prefeitura quer “dar o exemplo” e “fazer sua parte” ao contratar os aprendizes. “Essa é uma lei que existe desde 2011, mas que só agora foi regulamentada. A prefeitura optou pela contratação desses menores porque a legislação permite. Já quanto aos demais grupos, não podemos fazer contratações específicas, porque a prefeitura só faz admissões por meio de concursos e processo seletivos. Por isso, estamos incentivando as empresas a fazerem essas contratações”, explica.

As adesões são feitas por meio do Portal do Trabalhador. “Já temos empresas abrindo vagas e vamos atrás dos candidatos. Não vamos só esperar que eles nos procurem. Além disso, a prefeitura fará toda a fiscalização e o acompanhamento pós contratação”, completa.

Quanto aos aprendizes, Dulce afirma que o número de vagas, na prefeitura, ainda não foi estimado. “Vamos agora buscar os postos em cada secretaria”,  reforça.

O evento também contou com a presença do juiz Samuel Karazin, da vara da Infância e Juventude do Fórum de Osasco. Segundo ele, a contratação dos jovens em medida sócio-educativa, pela prefeitura, atende a uma “antiga revindicação” do Judiciário. “Hoje temos cerca de 300 crianças e jovens, em nossa cidade, que estão cumprindo medida sócio-educativa ou abrigadas em instituições da prefeitura. Sei que parte delas pode não querer seguir esse caminho, mas é nossa obrigação oferecer a oportunidade para que elas mudem de vida”, destacou.